Quinta, 13 de Junho de 2024
Publicidade

"Brasil, Justiça Medieval"

Autista ficou preso por quase sete meses

19/07/2023 às 14h35
Por: Renato Saito
Compartilhe:

Comparado somente com as "Naus dos loucos", imaginária narrativa de séculos passados e de reais "castigos" imputados a todo tipo de deficiência mental, como duchas, sangrias e choques, parte da justiça brasileira, em sua plena ignorância ou intenções ocultas, manteve preso um jovem autista com deficiência intelectual.

Continua após a publicidade
Anúncio

Jean Brito da Silva de 27 anos (pela idade, poderia ser um filho de ministro) tem TEA - Transtorno do Espectro Autista e ficou preso por quase sete meses acusado pela PGR (vejam o nível de conhecimento) de: associação criminosa armada, abolição violenta do estado democrático de direito, golpe de estado e dano qualificado, além do crime de deterioração de patrimônio da União. Nem Foucault explicaria.

Um jovem negro, catador de recicláveis, que sonha ser bombeiro em um ato de heroísmo, ajuda a socorrer idosas feridas por bombas de gás; nesse momento é detido e até hoje quando perguntado, não tem a capacidade cognitiva de dizer o porquê de estar preso. Só diz que quer ir para sua casa e tem saudade da família. 

Seria um prato cheio para a turma dos "direitos humanos" para protestos internacionais: negro, pobre, com deficiência, preso por uma arbitrariedade insana de uma ditadura.

Com uma venda nos olhos, como a estátua da deusa Lustitia, essa nata da supremacia que se acha estar acima do próprio Deus, em sua inquestionável ignorância, generaliza todos os tipos de deficiência mental e rotulam como loucos. 

Isso só pode vir de uma mente maligna e elucubrante de um etílico-dependente.

O herói dessa triste história sai da prisão com uma corrente no pé, uma tornozeleira para ser monitorado como um cão, por aqueles sedentos de poder.

Continua após a publicidade

Caso os senadores e deputados por conveniente omissão não cobrarem essa situação, há uma justiça superior que cobrará tudo isso, com juros.

 

*Renato Saito é apóstolo, jornalista e escritor.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Helena Santini Souza MenezesHá 10 meses Rio de Janeiro Lado do Condomínio Mundo Novo.Não vejo a hora de estes seres corruptos abjetos pagarem pelas maldades.
Rosana Há 11 meses São Paulo Vamos aguardar a manifestação dos "DIREITOS HUMANOS, QUE EM 02 DE OUTUBRO DE 1992 ESTAVA EM PESO NA PORTA DO CARANDIRU, DEVIDO A CHACINA QUE TEVE NAQUELE DIA, PORÉM NÃO VI NENHUMA MANIFESTAÇÃO EM FAVOR DOS MILITARES ASSASSINADOS AO EXERCER AS ATRIBUIÇÕES DE SEU OFÍCIO, NUNCA SOUBE DE VISITA DOS DIREITOS HUMANOS A FAMÍLIA DOS POLICIAIS MORTOS, SERÁ QUE DEFENDERÃO ESSE JOVEM? VAMOS AGUARDAR.
Mostrar mais comentários